Vitiligo e tatuagens – entrevista a um especialista.

Fazer tatuagens (tattoos) pode agravar a situação da vitiligo devido ao fenômeno de Köebner.

Temos recebido muitos emails sobre o tema das tatuagens e sua relação com vitiligo.

Algumas pessoas perguntam se é válido cobrir as áreas da pele afetadas com tatuagens (tattoos) para disfarçar ou ocultar as manchas.

Outras, perguntam se fenômeno de Köebner (ou resposta isomórfica), pode ocorrer devido à realização de tatuagens na pele.

Fazer tatuagens nas áreas afetadas não resolve o problema e poderá até agravar. A Academia Americana de Dermatologia (AAD), num artigo sobre a matéria publicado no seu site oficial (https://www.aad.org/), desaconselha os portadores de vitiligo a fazerem tattoos, devido ao fenômeno de Köebner.

Segundo estudos recentes publicados por essa reputada Academia científica verificou-se o aparecimento de novas manchas em alguns pacientes com vitiligo 10 a 14 dias após a realização de uma tatuagem.

vitiligo e tatuagem

Sobre a matéria entrevistamos o Dr. João Marcelo Sousa, médico dermatologista e naturopata de uma prestigiada clínica especializada europeia:

Vitiligo Tem Cura:

Recebemos muitos emails de pessoas colocando questões sobre cuidados especiais para quem tem vitiligo. O que pode dizer sobre o assunto?

Dr. João Marcelo Sousa:

Antes de mais gostaria de esclarecer algo sobre vitiligo. Não considero vitiligo uma doença propriamente dita, mas sim uma anomalia dermatológica provocada pela morte das células produtoras de pigmentos (melanócitos), tendo como resultado uma despigmentação dermatológica e o consequente embranquecimento de zonas da pele.

Não é contagiosa nem resulta numa efetiva deficiência da pessoa afetada. O principal problema que têm as pessoas com vitiligo é o receio à possível desaprovação social e marginalização a que podem estar sujeitas. Essa marginalização pode ser verdadeira ou simplesmente imaginária, do foro psicológico. A falta de informação sobre o tema provoca graves confusões na população que confundem vitiligo com outras doenças contagiosas.

Também existem implicações de ordem estética, as quais afetam principalmente as mulheres.

Quanto à vossa pergunta, existe na verdade um conjunto de cuidados especiais que as pessoas afetadas por esse problema dermatológico deverão ter, nomeadamente proteger a pele da exposição dos raios, mediante a escolha de vestuário adequado e o uso frequente de bons protetores solares, evitar cosméticos e perfumes industriais, jamais utilizar lâmpadas bronzeadoras, evitar situações de estresse e seguir uma dieta natural rica em elementos oxidantes, evitando os alimentos processados que possam provocar alergias.

V. T. C.:

Quanto à questão das tatuagens; existe ou não perigo em realizar tattoos?

Dr. João Marcelo Sousa:

Pessoas com vitiligo jamais devem realizar tatuagens na pele.

Além de ser muito agressivo para a pele e poder piorar a zona afetada, a realização de tatuagens pode implicar o aparecimento de novas manchas, devido a um conhecido fenômeno, chamado fenômeno de Köebner.

Pessoas com vitiligo deverão ter o especial cuidado de se protegerem contra lesões e traumas, que poderão agravar a situação.

Note que em virtude do fenômeno de Köebner, novas manchas de pele despigmentadas também podem aparecer em virtude de picadas de animais, lesões, traumas, dermatoses, irritações alérgicas e como consequência de cirurgias.

V. T. C.:

Que tratamentos aconselha?

Dr. João Marcelo Sousa:

Eu aconselho tratamentos naturais. Existem alguns que têm demonstrado bastante eficácia na prevenção, abrandamento, diminuição e cura.

Na nossa clínica utilizamos sobretudo medicamentos homeopáticos e fitoterapia. Também orientamos sobre dieta e práticas de relaxamento anti-estresse.

Existem contudo alguns métodos terapêuticos da medicina alopática (medicina convencional) que, segundo as informações que disponho, também têm demonstrado algum grau de eficácia.

V. T. C.: 

Vitiligo tem cura?

Dr. João Marcelo Sousa:

Tal como afirmei anteriormente, temos ótimos resultados na cura e diminuição das áreas abrangidas.

vitiligo e tatuagens

Referências:

  1. http://www2.pucpr.br/reol/index.php/BS?dd1=1648&dd99=view
  2. http://www.vitiligozone.com/news/koebner-response-vitiligo
  3. http://www.researchgate.net/publication/231176477_The_Koebner_phenomenon_psoriasis_in_tattoos

Quem leu este artigo, também leu:

 

 

 

 

More from entrevistas

6 Responses to “Vitiligo e tatuagens – entrevista a um especialista.”

  1. joão disse:

    tive vitiligo quando tinha 12 anos, atualmente tenho 18 e não há sinal da doença, gostaria de saber se mesmo assim não devo fazer tatuagem?

  2. Tati disse:

    Ja fui em alguns dermatologistas pq tenho algumas manchas, elas coçam bastante, mas mesmo assim me disseram que é vitiligo. Afinal vitiligo coça ou não?

  3. Neide Finassi disse:

    Tenho vitiligo queria fazer uma tatuagem, na panturrilha, porém na panturrilha n tenho mancha posso fazer

  4. Vlamir disse:

    Dr. Tenho vitiligo em 100% do corpo. Esse fenomeno ?öebner se aplica a mim também?

  5. tive vitiligo aos 11anos e tenho atualmente 15 anos minhas manchas não crescem mais queria saber se ela pode ainda crescer?

    • Vitiligo Tem Cura disse:

      Sim, podem ainda crescer. Mas com os cuidados adequados, o processo pode ser revertido ou mesmo eliminado.

Voltar ao início